quarta-feira, 8 de setembro de 2010

LANÇAMENTO: Universidade ganha núcleo de estudos sobre sexualidade.


A diversidade sexual é alvo de muitos tabus e preconceitos. Para entender a complexa teia que formam as questões envolvendo o público de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBTTT), surge o Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Diversidade Sexual, Gênero e Direitos Humanos – Tirésia, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O grupo será lançado nesta quarta-feira (8), com extensa programação aberta ao público, incluindo debates e mostra de vídeos. No final do dia, a escola de Música encerra o evento com apresentações do Grupo Pau e Lata, Arlindo Bezerra, com o espetáculo “Flor Carnívora”, e Big Band Jerimun Jazz, a partir das 19h30.

Nove departamentos da Universidade estão participando das pesquisas, com 10 professores (membros permanentes) e 40 estudantes, entre graduandos e pós-graduandos (membros interinos). Além disso, o núcleo possui membros associados, pesquisadores de outras instituições, que possuem núcleos semelhantes a esse.

Segundo a coordenadora do Núcleo, a professora doutora Berenice Bento, o objetivo não é apenas discutir o tema na academia, mas sim, levar à sociedade e ao poder público reflexões sobre a desigualdade que atinge travestis, gays e mulheres.

“A ideia é que seja um espaço vivo, dinâmico. O objetivo é ter relação com ONGs e movimentos de gays, lésbicas, travestis, feministas e governo”, disse, sobre os objetivos do núcleo que pretende desenvolver e disseminar informações em relação a casos de violação de direitos, de violência e discriminação homofóbica e violência de gênero.

“Nós teremos trabalhos em torno desses três eixos: diversidade sexual, gênero e direitos humanos, na perspectiva política e transformativa mesmo”. Uma das formas utilizadas para isto será a promoção de ações educativas de formação de cidadania, elaborando e divulgando material educativo sobre direitos humanos e cidadania.

Além disso, pretende-se fornecer orientações gerais a qualquer vítima de violação, informando sobre as garantias legais e encaminhando para os serviços especializados de atendimento a cada caso.

Para isto, Berenice Bento explica que estão envolvidos profissionais da Filosofia, História, Serviço Social, Comunicação Social, Letras e Artes, Antropologia e Sociologia, em cinco linhas de pesquisa: Globalização, movimentos migratórios e territorialidades; Instituições, práticas, poder e violência; Identidades, performances e subjetividades; Crítica, conhecimento e teoria social e Práticas discursivas e produção de sentido.

A criação do Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Diversidade Sexual, Gênero e Direitos Humanos – Tirésia foi aprovada em maio deste ano pelo Consuni/UFRN, após tramitação nos Departamentos, Centros, Consad e Consepe. Foram meses de discussão e articulação junto à comunidade universitária da UFRN e em todas as instâncias, o Tirésias foi aprovado por unanimidade.

2 comentários:

Blog do Prof. L.C.Sax disse...

Amigo Castelo Morais, aqui que fala é o apodiense Professor Luiz Carlos Lucena, mas conhecido como L.C.Sax, estou passando para parabenizá-lo pelo belíssimo blog. Blog este que acabo de me tornar seguidor. E gostaria de pedi-lo para se possível colocar o meu link entre os seus blogs companheiros, pois já coloquei o seu lá no meu blog.
o meu link. wwww.lcsax.blogspot.com
Desde já agradeço.
L.C.Sax

daniella fernandes disse...

postagem legal..apesar de bastante estranha!!
mais eh sempre bom conhecermos assuntos novos....
ja eliton...acha um absurdo..a igreja dele não concorda muito!!